Existem limites em editar e manipular?

Semana, vendo as atualizações na timeline do facebook, as besteiras compartilhadas (janeiro de férias, sempre sobra tempo para coisas do tipo), vi uma dessas imagens de antes de depois da manipulação de imagens publicadas em uma resvista da atriz Juliana Paes na praia. Mostrando o corpo esbelto, sem marcas, tempinho depois de um parto, toda feliz e saltitante. Não é a primeira vez que a atriz sofre alterações digitais no corpo, assim como não é a primeira vez que alguém aparece “defeituoso” em uma campanhas ou matérias.

Diferenças nas imagens publicadas da atriz Juliana Paes (revista Quem)

Será mesmo que precisava de toda essa manipulação?

A busca da beleza perfeita, nos tempos de hoje, exige dos fotógrafos uma atenção ainda maior na pós produção de suas fotos. O grande photoshop é sempre o maior aliado nessas horas. Mas a consequência disso (e é o que já acontece hoje em dia) é a falta de credibilidade nas imagens. Quem é que olha uma revista dessas Caras, por exemplo e não pensa logo de primeira: “O corpo dela não é assim, isso foi manipulado”? Todos nós. E então a Caras passa a ser uma revista que vende corpos perfeitos e fakes! O que nos faz pensar: “Se a imagem vende mentiras, será se a informação (no texto) passa alguma verdade?”.  Até onde sabemos a imagem e o texto andam de mãos e pés atados, um colaborando com o outro.

Juliana Paes correndo na praia

Nessa a gente vê a diferença.

Assim como nas fotografias, nos videos e emisoras, as imagens também são editadas. Já reparou na diferença entre a globo e todas as outras emissoras? Todos ficam mais bonitos, formosos e esbeltos por lá. Bonito de ver, e difícil de acreditar!

Campanha da Havaianas

Famosa campanha conhecida pelo excesso de manipulação que acabou deixando a atriz Fernanda Vasconcelos sem umbigo.

Vale ressaltar a diferença entre manipular (modifica a imagem, as pessoas, os fundos, como uma montagens) e editar (mais leves, como modificar cores, corrigir defeitos na foto e etc).

E então, qual o limite para essas manipulações? Tudo indica que não há limites. Mesmo sendo “propaganda enganosa”, esses fotógrafos (que se vendem para esses tipos de trabalhos, ou simplesmente concordam com tal ação) e essas revistas/emissoras, não querem saber se o leitor/espectador acredita ou não, e quais danos podem causar com toda essa ilusão e fantasia.

Os problemas e complicações dos novos tempos já estão aí para nos mostrar que isso realmente gera consequências. E a anorexia é apenas o problema mais aparente (literalmente, também). Cabe a nós, fazer a nossa parte e trabalhar com ética e responsabilidade!

Uma ótima semana a todos! 😉

Uma resposta para “Existem limites em editar e manipular?”

  1. Atenção para o fato de que não existe indicio algum de uso de photoshop na primeira série de fotos, além da manifestada opinião de uma “especialista” consultada pela equipe do Yahoo, que sugere um retoque na cintura da artista… Na minha opinião, mera especulação gerada pela “Neurose do Photoshop”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *