Um pouco mais sobre Ana Brandt

Conforme o prometido: Agora vou contar tudo sobre a Ana Brandt, e tudo o que rolou em sua palestra no Newborn Photo Conference, que foi apaixonante. Saber da história dessa fotógrafa (bem de pertinho) pela sua própria narrativa, acompanhar todo o processo criativo e como compõe seu cenário e organiza sua luz foi sensacional! A sua forma de contar a sua história, as suas graças (ela é muito engraçada), o seu carisma é o que cativa o seu trabalho. Aliás, aproveito e deixo a dica para quem quer trabalhar com Newborn: Seja carismática (muito), essa é a principal característica de uma equipe que fotografa os pequeninos.

NewBorn_0840

Muito mais sobre Ana Brandt

Durante sua apresentação no Newborn Photo Conference, Ana Brandt foi traduzida pela querida Simone Silvério, que facilitou o entendimento, já que também é fotógrafa e amiga da Ana Brandt.  E já começou a sua pequena justificativa pelo qual a levou escolher o Newborn como principal atividade profissional: Ana Brandt foi adotada, e não teve a oportunidade de saber e contar a história dos seus pais biológicos. O que ela enxerga ao fotografar esses pequeninos é encontrar as feições, o nariz que puxou do pai, o olho que puxou do avô, o tom de pele que herdou da mãe, e assim contar sua história. Dessa forma, ela também explicou como é importante estar presente na foto, perguntar sobre a vida dessas pessoas, inserir essas informações de forma sutil.

A palestra da Ana Brandt girava em torno da luz. Tanto artificial como a luz natural. E ela explicou um pouco sobre cada uma. A começar pela sua história, que foi bastante revigorante para aqueles que estão começando (imagino eu). Brandt não começando com uma grana no bolso, então ela contou que passou dez anos usando luzes usadas, assim como câmeras e acessórios. O importante não é o quão novo o seu equipamento é, o importante é entender da luz. Usar fotômetro, medir a luz sempre que possível, sempre que mudar a direção ou o local, até que você saiba o que está fazendo.  Durante a palestra, assim como todas as palestras do Newborn Photo conference, Ana Brandt fez no palco, a sua prática, e mostrou como usa sua luz: sempre a haze por cima do seu ombro, com o foco no nariz do bebê. Além de luz contínua, Ana Brandt usa com muita frequência a lente 24-70 mm.

Além das dicas técnicas, Ana Brandt contou como é a ordem do fluxo do seu trabalho. O fluxo no trabalho é realmente importante. Ninguém tem tempo para perder, cada profissional precisa encontrar um fluxo que funcione, que seja produtivo. Nunca você fará as mesmas fotos, os bebês são diferentes, os props são diferentes, assim como os acessórios, então, não tenha medo de criar um fluxo como uma rotina para todos os bebês que for fotografar. Então, anotei tudinho para contar para vocês, o fluxo do trabalho da Ana Brandt:

PRIMEIRO:

Para começar, Ana Brandt faz algumas perguntas para entender o cliente:

Como você me achou? Você viu o meu trabalho? Do que você gosta no meu trabalho?

Depois de entender o cliente, ela deixa que ele escolha a cor que querem usar.

SEGUNDO:

Sempre começa com o bebê enroladinho. De fraldinha por baixo, as vezes até com com uma roupinha por baixo. Ela sempre começa com ele enroladinho e vai desenrolando a cada Set.

Dicas: Fotografar assim que o bebê der uma mamada completa. E, é importante alertar a mamãe que o que ela come, passa para o bebê através do leite. Então, a fotógrafa faz uma lista de coisas que a mãe não pode comer, para facilitar o processo. Aproveite e estude tudo sobre o bebê, inclusive os choros. Existem estudos já publicados que explicam o que cada choro significa, isso ajuda seu trabalho.

TERCEIRO:

O ruído branco. É um aplicativo que a Ana Brandt usa para equilibrar os ruídos ao redor do bebê.

Aos poucos ela vai desenrolando, desenrolando. Enquanto o bebê está na mesma posição, ela já fez vários sets. Tirou acessório da cabeça, tirou rap, ficou só de roupinha, e por ultimo, sem roupinha. Mas, claro, cada um vai escolher uma forma que facilite seu trabalho.

NewBorn_0823

A fotógrafa Ana Brandt, de todas as fotógrafas de Newborn, transpareceu mais conhecimento, segurança e prática. Além das boas gargalhadas que dei, indico para quem deseja seguir esse segmento, acompanhar o trabalho dessa fotógrafa bastante experiente.

 

2 respostas para “Um pouco mais sobre Ana Brandt”

  1. Olá! Gostaria que você contasse um pouco mais sobre as luzes. Ela sempre usa luz contínua? Qual? Qual o tamanho do softbox?
    Obrigada!

    1. Oi, Raquel! Ela primeiro avalia o espaço. Se ela tiver uma luz saindo de uma janela, ela coloca o bebê ali mesmo. Atualmente, no estúdio novo dela, ela tem um janelão, por onde ela se aproveita da luz. Ela já fez testes com luzes de todos os horários, a luz da manhã é mais fiel para as cores, é essa que ela usa. Quando a luz natural não coopera, ela usa contínua e um soft box enorme, para simular a luz natural do jeito que ela gosta. Procura sempre evitar sombras e luzes duras. Nada que deforme o rosto ou corpo do bebÊ. Consegui te responder? Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *