A importância do contrato na profissão fotografia

Como nunca pensei em escrever sobre esse tema antes? Levando em consideração que todos os problemas que tive foram em decorrência de uma ausência de um contrato de prestação de serviços fotográficos (por mais simples que fosse), estou aqui para dividir essa tarefa de casa com você que, começando ou não na profissão mais amada do mundo, precisa desde já colocar em prática ou aprimorar seu contrato.

Logo no começo eu tinha muito receio de exigir que o cliente assinasse contrato, me sentia insegura por estar passando aquela velha imagem “eu não confio em você”. Hoje em dia, anos depois, experiências depois, o receio continua, mas não é com o mesmo sentimento, é pensando “espero que ele/ela compreenda e assine”.  Primeiro vamos avaliar dos objetivos do contrato, como entregar, linguagem utilizada e como montar um contrato pensando exatamente no tipo de fotografia que você trabalha.

O objetivo do Contrato de prestação de serviços fotográficos

O contrato deve assegurar ambas as partes: o contratante e o contratado. É de extrema importância que você  coloque isso no seu contrato. O seu cliente também precisa se sentir seguro ao assinar um contrato de prestação de serviços fotográficos. E só coloque aquilo que você pode cumprir. Por exemplo: tempo para entrega das fotografias, como será a entrega, que tipo de mídia utilizará, quantas serão entregues ampliadas, quantas serão entregues editadas, que tipo de arquivo, etc.

É importante, também, deixar tudo adaptável. Cada cliente é um cliente, então em alguns casos o cliente utiliza alguns sistemas de pagamentos para efetuar o pagamento; nesse caso, aconselho perguntar tudo antes, na hora de mandarem a solicitação do orçamento para então você adaptar no contrato.

Nesses objetivos, coloque tudo, tudo mesmo, o que você precisa para trabalhar com segurança e da mesma forma, visando o seu cliente.

Como entregar o contrato de prestação de serviços fotográficos?

Tudo depende da sua demanda. No meu caso, assim que o orçamento é aprovado, já encaminho o contrato de prestação de serviços fotográficos assinado por mim por e-mail para o solicitante.  E, no dia das fotos, levo uma via impressa comigo para que o cliente assine. É simples, eu não perco meu tempo e tudo fica acertado. Em alguns casos é importante ir na casa do cliente antes, por exemplo: quando se trata de um evento (um aniversário infantil). Já aconteceu de eu chegar no aniversário infantil e ter outra equipe lá no meu lugar (eles resolveram mudar a equipe de fotógrafos sem me avisar), resultado: deixei de fechar com outro evento e sai de lá com as mãos abanando. Culpa da ausência do contrato.

Então o que vai definir como você entregará seu contrato é a sua demanda e, em alguns casos, o tipo de fotografia.

A linguagem do Contrato de prestação de serviços fotográficos

A linguagem do contrato deve ser a mais jurídica possível. Sendo clara e objetiva. Sempre temos um amigo ou familiar advogado, peça ajuda aos coleguinhas do direito e monte o seu contrato dentro das leis. O uso da linguagem correta faz toda a diferença; você pode até utilizar um papel timbrado todo enfeitado com a sua logo, mas a linguagem deve ser a mais assertiva.

Para quem nunca fez um contrato antes, sugiro colocar no nosso querido amigo google “modelos de contrato”, lá você tem uma ideia de como é uma linguagem de contrato. Mas, por favor, não vá copiar nenhum daqueles contratos, use apenas para ter uma noção e monte de forma original.

Como montar um contrato de prestação de serviços fotográficos?

Como já falei algumas vezes e repito: tudo vai depender do tipo de fotografia que você faz. É isso que vai te dar um norte daquilo que você precisa. Outra, são as suas próprias experiências, elas já denotam que tipo de dificuldades passamos na nossa profissão. Mas, para montar o seu contrato de prestação de serviços fotográficos você precisa levar 4 coisas em consideração:

  1. O pagamento (seja claro, sucinto e legítimo) – Como será feito esse pagamento? Você parcela? Aceita cartão? Quando essas fotografias deverão estar quitadas?
  2. O tempo estimado para fotografar – O tempo que você leva para fotografar algo é de extrema importância a ser colocado num contrato. Algumas vezes cobramos por produto (o que não concordo muito, mas, alguns clientes preferem e a gente sempre quer conquistar aquele cliente em potencial), mas, em alguns casos, esses produtos tomam mais tempo do que deveriam, deixando de fazer sentido aquele valor cobrado. Então deixe claro quantas visitar fará, com que prazo você trabalha.
  3. O pós fotografia – Que tipo de edição você faz? Quantas fotografias você entregará editada? Quem escolherá essas fotografias? Em caso de fotografia publicitária (a meu ver, as mais complicadas para firmar contratos) deixe claro até aonde vai as suas edições. Muitas vezes é trabalho da agência e não o seu trabalho. Vá até aonde você é capaz.
  4. Prazo / Como entrega – Seja justo consigo e com o seu cliente. Em quanto tempo você realmente entregará essas fotos? Se você acha que demorará um mês para entregar, seja honesto, não minta. Muitas vezes tentamos trabalhar com prazos menores naquela pressa de receber pelo pagamento, mas o importante é ser justo nesse momento. E o como entregar, como eu falei, também entra nessa categoria. Se será ampliada ou em CD/DVD, ou, simplesmente disponibilizar na nuvem, deixe tudo claro.

Espero que tenha gostado das minhas considerações sobre o contrato de fotografia. Assim, a nossa profissão vai ganhando mais valor, mais consistência. Nós vamos conquistando o nosso lugar de forma honesta e cada vez mais profissional. E você, como profissional ganha um Q a mais no seu trabalho.

Infelizmente só o contrato, as vezes, não é o suficiente, tem muito cliente mala a solta. Mas a dica que eu dou é: faça sempre vista grossa, não deixe de mandar contrato porque é amigo ou familiar. Não pule nenhuma das suas regras burocráticas por motivo de “achei essa pessoa simpática”, mantenha a postura sempre. Vale ressaltar que o contrato de uso da imagem também é importante, mas deixemos esse assunto para outro momento!

Corre, monta teu contrato e manda brasa! Conta pra mim depois!

2 respostas para “A importância do contrato na profissão fotografia”

  1. gostaria de receber algum modelo de contrato, pois quando fazemos esta consulta na internet aparecem muitos modelos, ai fico insegura com o que vejo porque cada um aborda o contrato de maneiras diferentes.obrigada

    1. Olá, Roberta. Existem vários modelos pela liberdade mesmo de faze-los. Ou seja, o modelo é você quem faz. O importante é colocar tudo aquilo que proteja o seu trabalho e o seu cliente. Faça uma lista dos “traumas” que já passou enquanto fotógrafa, e organize isso em forma de contrato. É importante também, conter todas as suas informações, e as informações do seu cliente. Assinatura de ambos é bem importante. Imprima vários e tenha sempre amostras com você. Da mesma forma é a autorização para uso de imagem. Obrigada pelo comentário. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *