Fique por dentro do Marketing Digital!

Gente, é super importante enxergar o assunto marketing digital como algo essencial para sua empresa de fotografia (sim, se você é fotógrafo, então você é uma empresa) ir pra frente!

Encontrei esse infográfico no site Assunto Criativos, e não podia deixar de compartilhar com vocês, fotógrafos que buscam melhorar de forma eficaz o marketing de vocês.

A importância do contrato na profissão fotografia

Como nunca pensei em escrever sobre esse tema antes? Levando em consideração que todos os problemas que tive foram em decorrência de uma ausência de um contrato de prestação de serviços fotográficos (por mais simples que fosse), estou aqui para dividir essa tarefa de casa com você que, começando ou não na profissão mais amada do mundo, precisa desde já colocar em prática ou aprimorar seu contrato.

Logo no começo eu tinha muito receio de exigir que o cliente assinasse contrato, me sentia insegura por estar passando aquela velha imagem “eu não confio em você”. Hoje em dia, anos depois, experiências depois, o receio continua, mas não é com o mesmo sentimento, é pensando “espero que ele/ela compreenda e assine”.  Primeiro vamos avaliar dos objetivos do contrato, como entregar, linguagem utilizada e como montar um contrato pensando exatamente no tipo de fotografia que você trabalha.

O objetivo do Contrato de prestação de serviços fotográficos

O contrato deve assegurar ambas as partes: o contratante e o contratado. É de extrema importância que você  coloque isso no seu contrato. O seu cliente também precisa se sentir seguro ao assinar um contrato de prestação de serviços fotográficos. E só coloque aquilo que você pode cumprir. Por exemplo: tempo para entrega das fotografias, como será a entrega, que tipo de mídia utilizará, quantas serão entregues ampliadas, quantas serão entregues editadas, que tipo de arquivo, etc.

É importante, também, deixar tudo adaptável. Cada cliente é um cliente, então em alguns casos o cliente utiliza alguns sistemas de pagamentos para efetuar o pagamento; nesse caso, aconselho perguntar tudo antes, na hora de mandarem a solicitação do orçamento para então você adaptar no contrato.

Nesses objetivos, coloque tudo, tudo mesmo, o que você precisa para trabalhar com segurança e da mesma forma, visando o seu cliente.

Como entregar o contrato de prestação de serviços fotográficos?

Tudo depende da sua demanda. No meu caso, assim que o orçamento é aprovado, já encaminho o contrato de prestação de serviços fotográficos assinado por mim por e-mail para o solicitante.  E, no dia das fotos, levo uma via impressa comigo para que o cliente assine. É simples, eu não perco meu tempo e tudo fica acertado. Em alguns casos é importante ir na casa do cliente antes, por exemplo: quando se trata de um evento (um aniversário infantil). Já aconteceu de eu chegar no aniversário infantil e ter outra equipe lá no meu lugar (eles resolveram mudar a equipe de fotógrafos sem me avisar), resultado: deixei de fechar com outro evento e sai de lá com as mãos abanando. Culpa da ausência do contrato.

Então o que vai definir como você entregará seu contrato é a sua demanda e, em alguns casos, o tipo de fotografia.

A linguagem do Contrato de prestação de serviços fotográficos

A linguagem do contrato deve ser a mais jurídica possível. Sendo clara e objetiva. Sempre temos um amigo ou familiar advogado, peça ajuda aos coleguinhas do direito e monte o seu contrato dentro das leis. O uso da linguagem correta faz toda a diferença; você pode até utilizar um papel timbrado todo enfeitado com a sua logo, mas a linguagem deve ser a mais assertiva.

Para quem nunca fez um contrato antes, sugiro colocar no nosso querido amigo google “modelos de contrato”, lá você tem uma ideia de como é uma linguagem de contrato. Mas, por favor, não vá copiar nenhum daqueles contratos, use apenas para ter uma noção e monte de forma original.

Como montar um contrato de prestação de serviços fotográficos?

Como já falei algumas vezes e repito: tudo vai depender do tipo de fotografia que você faz. É isso que vai te dar um norte daquilo que você precisa. Outra, são as suas próprias experiências, elas já denotam que tipo de dificuldades passamos na nossa profissão. Mas, para montar o seu contrato de prestação de serviços fotográficos você precisa levar 4 coisas em consideração:

  1. O pagamento (seja claro, sucinto e legítimo) – Como será feito esse pagamento? Você parcela? Aceita cartão? Quando essas fotografias deverão estar quitadas?
  2. O tempo estimado para fotografar – O tempo que você leva para fotografar algo é de extrema importância a ser colocado num contrato. Algumas vezes cobramos por produto (o que não concordo muito, mas, alguns clientes preferem e a gente sempre quer conquistar aquele cliente em potencial), mas, em alguns casos, esses produtos tomam mais tempo do que deveriam, deixando de fazer sentido aquele valor cobrado. Então deixe claro quantas visitar fará, com que prazo você trabalha.
  3. O pós fotografia – Que tipo de edição você faz? Quantas fotografias você entregará editada? Quem escolherá essas fotografias? Em caso de fotografia publicitária (a meu ver, as mais complicadas para firmar contratos) deixe claro até aonde vai as suas edições. Muitas vezes é trabalho da agência e não o seu trabalho. Vá até aonde você é capaz.
  4. Prazo / Como entrega – Seja justo consigo e com o seu cliente. Em quanto tempo você realmente entregará essas fotos? Se você acha que demorará um mês para entregar, seja honesto, não minta. Muitas vezes tentamos trabalhar com prazos menores naquela pressa de receber pelo pagamento, mas o importante é ser justo nesse momento. E o como entregar, como eu falei, também entra nessa categoria. Se será ampliada ou em CD/DVD, ou, simplesmente disponibilizar na nuvem, deixe tudo claro.

Espero que tenha gostado das minhas considerações sobre o contrato de fotografia. Assim, a nossa profissão vai ganhando mais valor, mais consistência. Nós vamos conquistando o nosso lugar de forma honesta e cada vez mais profissional. E você, como profissional ganha um Q a mais no seu trabalho.

Infelizmente só o contrato, as vezes, não é o suficiente, tem muito cliente mala a solta. Mas a dica que eu dou é: faça sempre vista grossa, não deixe de mandar contrato porque é amigo ou familiar. Não pule nenhuma das suas regras burocráticas por motivo de “achei essa pessoa simpática”, mantenha a postura sempre. Vale ressaltar que o contrato de uso da imagem também é importante, mas deixemos esse assunto para outro momento!

Corre, monta teu contrato e manda brasa! Conta pra mim depois!

Primeiro curso profissionalizante em Fotografia a distância

Quando fiquei sabendo que o IIF lançou o primeiro curso profissionalizante em Fotografia, achei genial, e não poderia deixar de dividir com você. Nem todas as cidades do Brasil tem cursos e palestras em fotografia, querendo ou não, a concentração maior fica em São Paulo, nem todos têm a possibilidade (pelo pouco tempo que temo$$ nos dias de hoje) de se jogar pra SP e fazer um curso profissionalizante, ou até mesmo uma pós. Assim, torna ampla e mais acessível a possibilidade de nivelamento da profissão mais amada do mundo.

O Instituto Internacional de Fotografia (IIF) adaptou seu conteúdo e uniu forças com profissionais de fotografia que uniram forças para uma programação didática fotográfica. O curso adaptado para EAD (Ensino a Distância) engloba 12 disciplinas complementares, mais de 100 horas de aulas (dentre elas, gravadas e ao vivo) além de atividades, avaliações, análise de fotografias, práticas sem contar com toda uma possibilidades de trocas de informações e conhecimentos entre aluno x professor e aluno x aluno.

A primeira turma do curso profissionalizante em Fotografia será iniciada dia 15 de Julho e as inscrições já estão abertas!  Saiba todas as informações no site do IIF.

curso profissionalizante em fotografia

 

Ideias de cartão de visita para fotógrafos

Cartão de visita para fotógrafos não é tão difícil assim de fazer. Acho que todos os profissionais, principalmente de profissões criativas, passaram pela missão de produzir seu próprio cartão de visita, com os fotógrafos não é diferente. Esse é sempre um dos primeiros passos, primeiro step, primeiro obstáculo que um profissional da fotografia passa quando decide ser um desenhista com a luz. É preciso definir que linha criativa vai seguir e como quer que as pessoas lhe vejam. O cartão de visita para fotógrafos sempre carrega um pouco da personalidade individual daquele fotógrafo, de como ele gosta de se apresentar, também. Sempre tem os mais tímidos, com cartões de visita no fundo preto e apenas seu nome com letras brancas e uma logo com rolos negativos, outros mais ousados com estampas florais, ou usando suas fotografias como mosaicos.

Essa semana, resolvi fazer (mais uma vez) meu cartão de visita. Já tem um tempo que estou precisando renovar, e finalmente criei vergonha na cara e fiz (apenas a arte, ainda não criei vergonha na cara para levar à gráfica)  e como todos fazem, fiz uma busca no Google para absorver ideias, enquanto absorvia ideias para mim, absorvia uma ideia para cá. Mostrar para vocês algumas dessas ideias, unir algumas sugestões me pareceu ser uma boa opção. Não encontrei muitos links completos com ideias e sugestões. Então, aqui estão, reunidos e copilados. Espero que gostem!

tem na fotografia cartao de visita27

tem na fotografia cartao de visita26 tem na fotografia cartao de visita25

tem na fotografia cartao de visita25 tem na fotografia cartao de visita24 tem na fotografia cartao de visita24 tem na fotografia cartao de visita23 tem na fotografia cartao de visita22tem na fotografia cartao de visita19 tem na fotografia cartao de visita18 tem na fotografia cartao de visita17 tem na fotografia cartao de visita16 tem na fotografia cartao de visita15 tem na fotografia cartao de visita14 tem na fotografia cartao de visita13 tem na fotografia cartao de visita12 tem na fotografia cartao de visita11 tem na fotografia cartao de visita10 tem na fotografia cartao de visita9 tem na fotografia cartao de visita8 tem na fotografia cartao de visita7 tem na fotografia cartao de visita6 tem na fotografia cartao de visita5 tem na fotografia cartao de visita4 tem na fotografia cartao de visita3 tem na fotografia cartao de visita2 tem na fotografia cartao de visita

Curso online de fotografia: NY|P

New-York-Institute-of-Photography_medium

 

 

Nos dias de hoje encontramos com muita facilidade curso online de fotografia. Para quem não tem tempo a perder, pode ser uma boa escolha, além de descolar uns certificados for free de universidades com nomes mundiais.Mas não se iluda, fotografia é basicamente prática. Aceite todo tipo de conhecimento, e depois pratique. Quanto mais praticar, melhor fotógrafo será. Além de discutir sobre assuntos relacionados com amigos da profissão, outra forma de prática que ajuda muito a formar o seu olhar.

A Harvard também estava oferecendo curso online de fotografia, for free, para quem pretende ingressar na profissão com mais cautela. Já a New York Institute of Photography oferece uma gama de cursos de fotografia online, de longa e curta duração, alguns free, outros pagos, mas vale a pena o investimento.

 

 

5 Desafios para superar na profissão Fotografia

Foi escolhido 5 desafios, pensando mesmo na praticidade. Claro que, não só na profissão fotografia, mas em todas as outras profissões existem milhares de desafios, que, para o profissional alcançar as metas solicitadas pelo mercado de trabalho, precisa superá-las. Quem me conhece sabe que prefiro mil vezes um outro estilo fotografia de viver , a viver dependendo do mercado. Mas, mesmo para mim, o mercado me ensina, também, a pensar (além de pagar minhas contas,claro). Foi no mercado, ou em pauta (quando trabalhava em jornal com fotojornalismo) que colocava em prática alguns ensinamentos dos meus queridos livros e pensadores, e assim, futuramente abrir a menta para meus objetivos fluírem. E dessa forma já dou a deixa para o primeiro desafio dos 5 desafios para superar na profissão fotografia:

5 Desafios
Foto: Irina Dzhul

1º dos 5 Desafios profissão fotografia

Tenha mente aberta para o mercado louco de trabalho

Cada cidade, cada região vão ter suas regras do bom viver no mercado de trabalho. Mas é sempre importante pensar global. Ex.: Estou aqui falando com você, como se você fosse único (e você é, acredite), mas eu sempre espero que eu esteja na verdade, falando com o mundo inteiro. Então minha linguagem é universal, limpa, sem muitas gírias. Da mesma forma funciona quando você for se comunicar com o seu mercado. Comunique-se com ele de forma universal, escolha uma linguagem fotográfica que você se identifique e que o seu mercado ame!

Irina-Dzhul-61
Foto: Irina Dzhul

 2º dos 5 Desafios profissão fotografia

Esteja pronto para as redes sociais

Com certeza esse é o desafio mais comentado. Afinal, hoje em dia, não tem uma profissão criativa sequer que não se utilize das redes sociais para obter sucesso. Mas lembre-se de agregar o seu valor. O seu conteúdo linguístico vale demais na hora de publicar uma fotografia em uma rede social qualquer, por mais simples que seja, esteja pronto para falar sobre ela, para entender o que a sua fotografia fala. Sendo o desafio mais comentado, aproveito e deixo meu questionamento: Você está fazendo do jeito certo?

Irina-Dzhul-111
Foto: Irina Dzhul

3º dos 5 Desafios profissão fotografia

Qualificar e quantificar o seu trabalho

Para qualificar e quantificar o seu trabalho é realmente algo que leva tempo. Engloba o 1º desafios desses 5 desafios aqui selecionados, além de estar disposto a se atualizar, sempre, cursos, congressos, eventos, tudo. Quantificar, especificamente, monetariamente, é uma tarefa nada fácil para os principiantes que acabaram de investir em equipamento, estão devendo aos pais (além da vida, dinheiro e moral) e querem retorno LOGO. Seja crítico com seu trabalho, mesmo você tendo estudado muito, veja quanto realmente vale o seu trabalho. Se ele não estiver dentro do nível mensurável pelos seus colegas mais experientes, é melhor ganhar prática no princípio e ir aumentando e ajustando o quanto antes para equilibrar o mercado e fazer jus a profissão. Dica: Não faça por preço de banana, acredite, ninguém pechincha quando chega num consultório médico, seja tão sério e profissional quanto um dentista!

Foto: Irina Dzhul
Foto: Irina Dzhul

4º dos 5 Desafios profissão fotografia

Aprenda a lidar com todo tipo de pessoas

Acredito que esse desafio é para a vida, como um todo. Mas como na profissão fotografia você passa o tempo inteiro convivendo com pessoas diferentes todos os dias, visitando casas, famílias, de todos os tipos. Esteja preparado para presenciar todo tipo de surpresa que pode vir acontecer em uma casa que não é a sua. Mesmo que você pretenda ter um estúdio, esteja aberto a visitas nas casas de clientes. Não só com relação à visitas, mas a convivência, intimidade. A fotografia invade uma intimidade do fotografado que só um fotógrafo entende, e para rolar a química fotográfica, tenha a mente aberta para a convivência.

Irina-Dzhul-12
Foto: Irina Dzhul

 

5º Desafio profissão fotografia

Prepare-se para estar sempre atualizado com seu equipamento

O desafio que vem antes desse é adquirir o primeiro equipamento, Canon ou Nikon (sempre rola), mas, ainda mais desafiador, e com certeza, o desafio maior dos fotógrafos é estar atualizado com seu equipamento. Acredito sempre que o melhor equipamento é aquele que você tem, mas não deixe sua mente agir dessa forma, você terá mais qualificação no seu trabalho estando atualizado por todos os lados. É como equilibrar o corpo e a mente. Como falei no começo do post, essas não são os únicos desafios que você vai encontrar por ai, pelo mercado de trabalho do mundo da fotografia, mas, se você conseguir superar esses 5 Desafios, você supera qualquer um que vier a surgir!

Boa sorte!

 

Inspiração do post Irina Dzhul: Site Oficial

Inspiração encontrada em Cuded Website

Lista de 10 Perfis do instagram para seguir e se inspirar

Essa lista de 10 perfis do instagram é para ajudar a orientar os interessados na ferramenta e, o que é muito importe, para que juntos, possamos acompanhar os trabalhos de outros profissionais de fotografia e melhorarmos cada vez mais os nossos perfis. O instagram é uma das melhores ferramentas para você se mostrar no mercado, usando de forma certa, você pode sim, fazer algo muito diferente e bacana para mostrar todo seu potencial e profissional, usando muito pouco. Essa lista de 10 perfis do instagram é apenas um começo, imagina-se que existam milhares de listas como essa em todos os blogs, mas essa é a primeira seleção exclusiva do Tem Na Fotografia.

Conheça a Lista de 10 perfis do instagram, seleção TNF

TOP 10 – @iloveplaymo

Montar essa lista de 10 perfis do instagram foi mais difícil do que o que pensei. No topo, incluí o @iloveplaymo, que é um perfil de uma fotógrafa que dedica seu perfil do instagram para produzir fotografias com bonecos de playmobil em situações realísticas.

lista de 10 perfis do instagramlista de 10 perfis do instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TOP 09 – @anabrandt

Norte americana, conhecida pelo mundo como uma das melhores fotógrafas de bebês, com livros publicados e uma lista de palestradas ministradas. Ana Brandt, estará esse ano aqui no Brasil para o congresso Newborn Photo Conference e é um ótimo perfil para se inspirar e acompanhar.

2015-01-27 10.12.072015-01-27 10.11.24

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TOP 08 – @fotografeumaideia

Muito com certeza você já sabe de quem eu estou falando. De um dos melhores blogs sobre fotografia do nosso querido brasil. O perfil do @fotografeumaideia é carregado de lindas ideias e muitas inspirações!

lista 10 perfis do instagram2015-01-27 10.13.13

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TOP 07 – @rafapetrocco

Continuando na vibe dos blogs, o Rafael Petrocco, além de fotógrafo, é do Papo de Fotógrafo (vale muito a pena acompanhar). Seu perfil no instagram gira em torno de suas fotografias de casamento.

lista de 10 perfis do instagram

2015-01-27 10.14.42

 

 

 

 

 

 

 

TOP 06 – @erikamunizphoto

Essa, também é umas das palestrantes do Newborn Photo Conference, mas, para além disso, foi a primeira fotógrafa no ramo da fotografia de bebês que me inspirou bastante.


2015-01-27 10.15.38
2015-01-27 10.15.53

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TOP 05 – @gacappelletti

Esse fotógrafo é como todos nós. Buscando sempre a criatividade da sua profissão como inspiração para seu perfil.

2015-01-27 10.25.572015-01-27 10.26.33

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TOP 04 – @caseyneistat

Todos nós temos um amigo que nos atualiza dos perfis mais legais. Eu tenho um, e foi ele mesmo que me indicou esse perfil, não somente o perfil do Casey como todas as plataformas em que ele está e tudo o que ele faz. Ele não é exatamente um fotógrafo, mas acaba sendo e nos inspirando. Pra mim, um dos mais criativos do ramo.

2015-01-27 10.22.312015-01-27 10.22.46

TOP 03 – @stevemccurryofficial

Nessa lista dos 10 perfis do instagram não poderia faltar um Q de história, algo mais clássico. Escolhi o perfil do Steve McCurry, por estar sempre atualizado, com as melhores fotografias e em dia com suas publicações diárias.

2015-01-27 10.25.052015-01-27 10.25.24

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TOP 02 – @natgeotravel

A National Geographic é a revista que mais influencia nas tecnologias fotográficas e olhares sobre o mundo. E o seu perfil @natgeotravel é lindo de se acompanhar, vale a pena a curtida.

2015-01-27 10.16.362015-01-27 10.17.17

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TOP 01 e TOP 00 – @helosaaraujo e @temnafotografia

Aproveite também para seguir o instagram da editora que vos fala, @helosaraujo e do nosso querido @temnafotografia !

2015-01-27 11.34.042015-01-27 11.34.43

Marsala, cor anunciada pela Pantone para 2015

Marsala é a cor anunciada pela Pantone (sistema de cores mundiais) para o ano de 2015. Confesso que fiquei surpresa, embora muito feliz. Marsala é realmente uma cor muito atraente, envolve vontades, desejos, está próximo dos tons de ocre (que amo muito) e do vinho. Muito linda essa cor.

Marsala, cor anunciada pela Pantone para 2015

Para que todos os meus queridos leitores criativos fiquem por dentro dessa novidade, selecionei algumas lindas fotografias com Marsala para inspirar a todos nós.

sohohouse_berlin1-1060x530 PANTONE-ColorsMen10jpg Pantone_Color_of_the_Year_Marsala_Story_Three_Image2 pantone_2015_marsala  marsala-e-a-cor-pantone-2015_1_jpg_745x353_q85_crop cor-pantone-2015-marsala-001 17806939_ZfyfT

E então, o que acharam dessa maravilha de cor?

Cursos online de Fotografia e seus avanços

Os cursos online num sentido geral, vem invadindo cada vez mais as nossas portas, e os cursos online de fotografia é uma categoria específica que venho vendo bastante em vários sites por aí. Claro, levando em consideração que muitas dessas propagandas é apenas para atrair o leitor ao conteúdo e nem sempre a qualidade desses cursos é boa, o que vale é a intenção. E para começar bem esse artigo, já deixo uma pergunta: Como aproveitar de forma positiva esses tais cursos online de fotografia?

crusos online de fotografia
“a photographer” por Zuhair A. Al-Traifi

Cursos Online de Fotografia – isso não é propaganda

Ao meu ver, dependendo de qual vertente você deseja tratar a fotografia (pratica ou teoria) esses tais cursos online de fotografia podem ser positivos ou negativos. Mesmo eu não sendo o tipo de pessoa que apoia as relações virtuais no lugar das pessoais (humanista acima de tudo), dependendo do seu foco e da sua perseverança, você pode tirar um bom proveito desses tais cursos online de fotografia. Se você, assim como eu, já fez uma pesquisa no google, para matar a curiosidade usando o termo “cursos online de fotografia” então você se deparou com um vasto resultado, patrocinados e não patrocinados, mas com um bom direcionamento. O que significa que a nossa profissão está no centro do mundo, visada a investimentos inclusive online, quem não tiver muitos cursos, muitas referências, muita experiência ou até um certo dom, morre nadando contra a maré cheia de peixe (se é que me entende).

cursos online de fotografia

 

Esse meu artigo não serve para te desanimar ou coisa do tipo, mas para gerar uma discussão sobre esses cursos online de fotografia oferecidos e e que forma podemos nos aproveitar disso. Dentro dessa mesma pesquisa, o que me chamou mais a atenção (no quesito credibilidade) foi o curso online de fotografia do Senac, que eles chamam de cursos a distância. Bom, talvez isso se dê pelo fato do Senac já carregar um certo histórico tradicional em nosso país. Outro Curso online de fotografia que chamou a minha atenção foram os cursos do iPed, que demonstra ter investido nas formas de chamar a atenção e que assumem o jeito online de ser na íntegra, diferente do Senac que é uma escola presencial, mas que também oferece cursos a distância. O iPed é uma escola virtual que oferece vários cursos online, inclusive de fotografia na sua melhor forma possível. Assisti alguns vídeos e gostei até do método e linguagem. Aproveito até para responder a pergunta que indiretamente acabei gerando: Como podemos nos aproveitar de um desses cursos online de fotografia? Nesse caso do iPed, você pode realmente aprender muita coisa, principalmente teórico, afinal, é realmente importante para um fotógrafo conhecer a história da fotografia, fotógrafos renomados e etc fora a questão da teoria você pode absorver dicas para trabalhar no mercado e tutoriais para editar imagens. No caso do Senac, por ser uma escola tradicional, e como não tive acesso a video para falar dos seus métodos e linguagem, você já pode começar pensando nos certificados no caso de você já ser um fotógrafo, mas precisa ter a qualificação burocrática, afinal, a melhor escola une a prática e a teoria, não é mesmo?

cursos online de fotografia
PHOTOGRAPHERS… por Azli Jamil

Antes de saírem por aí clicando nos links atrás de cursos online de fotografia vou deixar algumas dicas como guia de sobrevivência desse mercado dos Cursos online de Fotografia:

– Antes de procurar por cursos online de fotografia, procure um curso na sua cidade, presencial, afinal, você pode fazer amigos que possam ser seus futuros parceiros de trabalho, além de ver de perto os colegas da mesma profissão fotografando, o que também faz parte de um ótimo exercício;

– Se o seu objetivo for na teoria, você tem a opção de investir em bons, ótimos e excelentes livros que podem ajudar bastante no que você procura;

– Se a primeira opção nem a segunda opção, por algum motivo não se encaixam, tente procurar pelos cursos mais comentados, faça uma pesquisa de procura no mercado, e avalie os custos benefícios;

– Se o certificado não for importante, tem sempre o nosso querido youtube e outro amigo mais distante vimeo com muitos videos interessantes que podem te ajudar, dependendo de qual for a sua necessidade.

 

cursos online de fotografia
Street Photographer por Algirdas Chocianas

Gostou das dicas? Então agora é só encarar e estudar! Boa Sorte!

5 Dicas para se tornar um fotógrafo melhor

5 Dicas para se tornar um fotógrafo melhor pode te ajudar a sobreviver nesse mercado louco que nos envolve cada vez mais e de forma cada vez mais sufocante. Selecionei aqui algumas dicas simples e que você mesmo já pode ter pensado antes, mas que ao por em prática pode fazer uma grande diferença no seu potencial. É sempre bom carregar algumas dessas dicas para si, e cada um com a sua própria vivência acaba por gerar outras novas dicas, que tal compartilhar com a gente?

5 Dicas para se tornar um fotógrafo melhor

Dica 1: Pratique o olhar

Pratique o olhar em todas as situações, com ou sem câmera, e sempre que puder, leve a câmera. Aqui em Fortaleza temos esse problema sério da segurança que acaba nos privando de praticar mais e mais o olhar, sempre que posso carrego minha câmera comigo, se vejo uma cena e estou sem câmera, registro como posso com celular. Se não vale a pena fazer com o celular, fico imaginando os ângulos possíveis, quais aberturas e velocidades usaria, lentes e etc. Para completar esse exercício só observando o que os colegas estão fazendo, o que os grandes fotógrafos já fizeram e o que os fotógrafos atuais no alto da motanha mercadológica estão fazendo.

Dica 2: Encontre seu estilo

Após muito treinar o olhar, ou até mesmo enquanto treina o olhar, encontre o seu estilo. Deixe a sua marca registrada. A primeira dica (como um todo) é também um ótimo exercício para você chegar nessa segunda dica: conhecendo os trabalhos dos outros fotógrafos – seja ele qual for – e praticando você vai, mais cedo ou mais tarde, se encontar. E ao se encontrar, você consegue atingir mais rápido o seu objetivo no mercado.

Dica 3: Encare o mercado de forma justa e de corpo e alma

Conheço muitos fotógrafos, alguns contruídos ainda na época da faculdade, outros conheci trabalhando e para completar, trabalhar no jornal também completa o ciclo de amizades criativos da imagem com facilidade. E gracias a dios que a grande maioria (quase todos eles) são justos, honestos e éticos, o que facilita o trabalho. Procure ser honesto com seu cliente quando não dominar um assunto, indique quem você sabe que sabe, quem sabe você pdoe até pedir para ir, para aprender a fotografar aquele estilo da fotografia. Seja ético com seus colegas de trabalho e não aceite trabalhar de graça, principalmente quando o seu nome já está no meio do caminho. se você seguir essas pequenas regras, você vai alcançar objetivos de forma mais prática e vai conseguir encarar o mercado de corpo e alma limpos.

Dica 4: Simplicidade e Humildade é para os fortes

Simplicidade e humildade é para os fortes, somente para os fortes. Como é difícil encontrar um fotógrafo – principiante – que chega com boa vontade para aprender e diz “me ensina, eu não sei”. Ou que simplesmente pratica de forma justa as dicas anteriores. Isso engrandece de forma magnifica o profissional que seu futuro é apenas sucesso. Saber o limite do outro, e o seu próprio limite com sabedoria e humildade não é para qualquer um. As pessoas têm medo/vergonha de dizer quando não sabem, ou quando tem dúvidas simples. Não tenha medo, quebre esse taboo e seja feliz.

Dica 5: Pratique na sua vida pessoal o que deseja melhorar na vida profissional

Ser fotógrafo é estar o tempo inteiro rodiado de pessoas, todos os dias você vai conhecer pessoas diferentes, das mais diversas personalidades, das mais diversas classes sociais e dos mais diversos estilos de vida. Quanto mais você fotografa, mais você tem que aprender a lidar com pessoas. E, para aprender a lidar com pessoas – que geralmente são diferentes de você – você deve praticar no seu dia a dia as leis da velha e boa educação. O mínimo que você pode fazer é estar preparada (o) para dizer as três palavrinhas mágicas, sempre. E, no final das contas, você também estará praticando a dica 4.

5 dicas para se tornar um fotografo melhor
Fotografia de Charles C. Ebbet, registrada no dia 20 de Setembro de 1932 intitulada “Almoço no topo de um aranha-céu”(Lunch Atop a Skyscrape)

E assim, nessas 5 Dicas para se tornar um fotógrafo melhor, onde uma dica vai dependendo da outra, assim como é a vida, deixo mais um pequeno lembrete: Nunca se deixe abater pelos primeiros obstáculos, e acredite, a vida de fotógrafo não é fácil, mas, se você realmente gosta, ela é super prazerosa.

Novidade TNF, Top #5 indicações da Semana

Top #5 indicações da Semana

Atenção, atenção, amigos do nosso querido #TNF, estava mais do que na hora de produzirmos, além de conteúdo, sugestões para leituras, produtos para comprar e presentear, locais para fotografar, estilo de vida e tudo mais aqui no nosso cantinho inspiracional. E não só seguindo temáticas diretamente relacionado com a #fotografia mas que de alguma forma complementasse o nosso universo (que já virou estilo de vida faz tempo), e quem sabe, dividindo oportunidades de pesquisa, ajudando em objetos de estudo e tudo mais.

As cinco indicações vão sempre ser variadas. E você pode me mandar sugestões, em caso de ter um blog, ou qualquer outro tipo de sugestão, mande para helosaraujo@gmail.com, publicarei com o maior prazer.

tiago-lourenco_temnafotografia_fotografiasdasemana
Autor: Tiago Lourenço

#Blogs

Blog da Comunicação

O Blog da Comunicação, é um daqueles blos que você indica sempre que alguém procura por reflexões sobre política, comunicação, estilo de vida e por formadores de opinião que sabem o que estão falando, e não apenas especulações. #TNFindica e aprova. O blog que foi criado da sala de aula de uma faculdade, por estudantes que hoje são jornalistas formados, o blog se empenha em mostrar um jornalismo independente, com um olhar imparcial.

Phlearn

O blog Phlearn já trata de questões técnicas diretamente relacionadas com a #fotografia. Acho que o nome ficou bem óbvio, né?´Lá você encontra inspirações técnicas, sugestões, possíveis objetos de pesquisa (para quem segue carreira acadêmica), proporciona visão de mercado, opições para iluminação, tutoriais, #Photoshop, e outras dicas a mais. Vale realmente a pena investir nessa leitura.

#Shopping

Tudo para foto

Se você precisa de acessórios mais específicos para iniciar a sua carreira na profissão #fotografia e não acha em sua cidade, provavelmente você encontre neste site Ecomerce, se não encontrar exatamente o que você procurava, encontrará algo parecido, ou acessórios que você nem sabia que existia.

#Leitura

Introdução a análise da Imagem

Claro que não podia faltar livros que nos vão dar conteúdo ao nosso trabalho. Não é porque você não segue carreira acadêmica que você não dar uma atençãozinha às leituras. Meu chefe costuma dizer que o problema dos fotógrafos de hoje é que eles não lêm mais, e as fotografias acabam ficando vazias. E eu concordo com ele, sem conteúdo as imagens acabam ficando sem repertório. Nesse livro, a autora Martine Joly fala de forma bem explicativa, fácil de entender e ler, os processos para analisar uma imagem semioticamente. Sabendo analisar, você também saberár gerar. O #TNFindica

#5 A Câmara Clara

Pode ser clichê da minha parte, indicar o Livro mais famoso das história da #fotografia do lendário crítico Roland Barthes (meu ídolo, por sinal), mas se trata de um livro báse para qualquer outra leitura. A maioria dos livros (99% deles) sobre #fotografia vai citar Roland Barthes e a Câmera Clara como embasamento teórico.  Portando, se você ainda não leu, adquira e não o tire da sua cabiceira.

Como se tornar um fotógrafo de moda

 

Blow-up Michelangelo Antonioni TNF

 

Uma carreira na fotografia de moda não precisa ser um sonho impossível. Três membros da industria dão à Ben Widdicombe suas dicas para quem está começando a trabalhar.

 

Com um enorme prestígio, altos salários e um glamuroso estilo de vida internacional, a fotografia de moda pode parecer uma das mais cobiçadas profiissões no mundo da moda.  Mas para cada fotógrafo de moda que entra pela porta de uma revista, mil outros encontram seu caminho na publicidade, fotografia artística, retratos de celebridades ou até mesmo como paparazzi para ganhar a vida.

A editora de fotografia da Allure Magazine Clio McNicholl, a agente de fotografia Gloria Cappelletti, e a fotógrafa de moda americana Eva Mueller concordam que se encaixar na indústria pode ser difícil. Mas eles têm algumas dicas para iniciantes sobre a criação de um portfólio, o contato com editores de revistas, a escolha da agência certa e até como ser visto em uma galeria.

 

CONSTRUINDO UM PORTFÓLIO

A ferramenta mais importante de um fotógrafo é seu portfólio, e isso é particularmente importante para iniciantes que não tem uma reputação estabelecida.

“Tendo estado em volta, eu sei como é difícil chegar até a porta”, diz a editora de fotografia Clio McNicholl, que recebe cerca de 50 portfólios não solicitados por mês. A revista Allure da Condè Nast, com uma circulação mensal de quase 900 mil exemplares, é um dos principais alvos para iniciantes que querem fazer com que seu trabalho seja visto. “Se eu não sei quem é a pessoa, peço-lhe para me enviar algum material promocional. Geralmente eu só encontro pessoas que estão vindo com uma recomendação direta de alguém que eu conheço”, diz ela.

Muitos fotógrafos acham que websites oferecem uma maneira barata de mostrar uma quantidade relativamente grande de imagens. Eva Mueller (www.evamueller.com),fotógrafa de moda e beleza nascida em Munique que vive e trabalha em Manhattan à dez anos, aponta que o portólio virtual é também um método de manter baixos os custos com impressão e encadernamento.

Mas apesar das vantagens, a maioria dos profissionais da indústria ainda precisará ver um antiquado livro antes de contratá-lo. Certamente vale a pena usar a internet como um cartão de visitas, mas é preciso ter algo a mostrar-lhes quando você for chamado para uma reunião.

Muitos fotógrafos de moda preferem uma imagem nítida e brilhante em 4 x 5″ para conseguir o melhor efeito na hora de apresentar seu trabalho. Páginas de revista (literalmente, páginas arrancadas de uma revista) são ótimas se você tiver sido publicado, contanto que de boa qualidade, impressões 8 x 10″ também estão OK. Tenha pelo menos 20 em sua pasta, e esteja preparado para deixá-las por pelo menos uma semana.

“Eu gosto de ver uma unidade ao longo de todo o livro”, diz Clio McNicholl, que diz que consegue saber através de três imagens se gosta do estilo de um fotógrafo.” Conte uma história: não necessariamente tenha todas as imagens relacionadas uma com a outra, mas eu gosto de vislumbrar algum tipo de sentido no fim de tudo e perceber que a personalidade do fotógrafo aparece é mostrada através das fotografias.”

As imagens que você escolher para apresentar em seu portfólio devem ser tematicamente ligadas ao trabalho que você está tentando fazer – still life ou fotografia de produtos, se você escolher publicidade, por exemplo. Mas também aposte em uma ou duas imagens diferentes para demonstrar sua versatilidade. Retratos são sempre uma aposta segura, pois eles tendem a ficar na mente do espectador.

Assim que estiver com seu portfólio pronto, o próximo desafio é fazer com que o editor de fotografia escolha você.

 

ESCOLHENDO UM EDITOR DE FOTOGRAFIA

“A maioria das pessoas que entram em contato comigo não fizeram uma pesquisa, o que é o maior erro do mundo.” diz Clio McNicholl. “A única grande coisa que as pessoas deveriam fazer é uma pesquisa. Elas deveriam saber o que a revista faz, e saber como elas podem empregar isso aquilo que fazem. E elas deveriam no mínimo saber o nome do editor de fotografia.”

Ao enviar o trabalho para um editor de fotografia, lembre-se de que você está “apresentando” e não “vendendo” seu trabalho. Editores quase nunca compram uma imagem específica que vêem diante deles, eles estão à procura de um fotógrafo que possa executar trabalhos no futuro. Você precisa ser persistente ao enviar seu trabalho, e cruel em editar o que você escolhe para mostrar.

A melhor maneira de chamar a atenção de um editor é mostrar trabalhos publicados anteriormente. Mas há um lado negativo. “Porque há excesso de oferta de fotógrafos, muitas revistas realmente tiram proveito desse fato”, diz Eva Mueller. “Algumas revistas têm um orçamento decente, mas muitas delas apenas cobrem suas despesas, elas não pagam pelo seu tempo, nem nada. E muitas revistas não pagam absolutamente nada.” McNicholl diz que os ordenados da Allure iniciam em US$ 350 por dia para os fotógrafos desconhecidos, até US$ 130.000 para um top fotógrafo.

A fotografia é um documento tanto quanto um artigo ou um ensaio, e os editores estão à procura de imagens concisas que comuniquem claramente uma idéia ou sentimento. Retratos de celebridades, por exemplo, devem revelar um aspecto do caráter do sujeito, de preferência que esteja em harmonia com o perfil escrito que o acompanha. As revistas femininas de todo o mundo compram centenas de imagens prontas a cada mês – normalmente de mulheres jovens se divertindo com seus namorados, fora com amigos, ou talvez deprimida em casa sozinha com seus brinquedos de pelúcia – que expressam sentimentos comumente tratados nos artigos de fundo. Se o seu trabalho fala claramente, você vai ter muito mais chance com um editor de fotografia do que com imagens vagas ou ambíguas.

Quando submeter seu trabalho, lembre-se:

– Ligue antes para a revista e pegue o nome para o qual a apresentação deve ser endereçada.  – Marque tudo com seu nome e número de telefone. – Envie impressões ou transparências, não originais. – Inclua um envelope selado e auto endereçado caso queira seu trabalho de volta.

Eva Mueller tem uma última advertência sobre como lidar com revistas: “Outra coisa ruim é não ser pago em séculos – de meses e meses e meses. Alguns clientes realmente tiram proveito do fato de existirem tantos fotógrafos por ai: eles te fazem pagar toda a sessão, alteram suas fotografias e não lhe dizem quando irão publicar o editorial. Às vezes, eles são apenas realmente desrespeitosos para com o fotógrafo ”

Existe uma maneira de evitar ter que lidar com editores de fotografia, no entanto, é ter uma agência de fotografia que faça a venda em seu nome.

 

ENCONTRANDO UMA AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA

Agências de fotografia existem para entrar em contato com os clientes e vender o trabalho dos fotógrafos em seus nomes. Eles se beneficiam todos, desde fotógrafos iniciantes, que não tem muitos contatos na indústria, a profissionais experientes, que estão ocupados demais para cuidar eles mesmos dos próprios negócios.

Gloria Cappelletti é agente da Management Artists’ Organization (MSO), em Manhattan, que representa um número de fotógrafos de moda de destaque, incluindo Stevein Klein, Michelangelo di Battista, Stefan Sedanoui e Alexei Hay.

“Primeiro de tudo, é vital ser conhecido, e uma agência está em contato diário com clientes e publicações”, diz ela. “Essa é a melhor maneira de um jovem fotógrafo ter uma ligação com o mercado, porque geralmente o fotógrafo está ocupado fazendo fotografias, e o agente está ocupado conversando com os clientes. E essa é a maneira que deve ser. Geralmente o fotógrafo não tem tempo suficiente para cuidar de tudo.”

As agências também podem voltar a vender seu trabalho em vários mercados diferentes, agindo como um mini-publicitários e dando conselhos sobre a carreira. Há tantas agências – e tantos fotógrafos – que Cappelletti diz que é importante pesquisar qual delas pode ser boa para você antes de fazer uma abordagem.

“O jovem fotógrafo tem que entender o seu alvo, nos termos de seus objetivos pessoais e da direção que o fotógrafo quer tomar”, diz ela. “Todo mundo é diferente.”

Agentes recomendam encarar seu primeiro contato com eles tão a sério como se fosse uma entrevista de emprego. Você também deve considerar se eles já representam alguém cujo estilo é significativamente semelhante ao seu – pode não haver trabalho suficiente para os dois, ou o outro fotógrafo poderia ressentir-se com competição.

As agências de fotografia não são os únicos lugares que podem vender o seu trabalho. Se você está mais interessado em se concentrar mais em sua visão pessoal do que no trabalho comercial, você também pode considerar ser representado por uma galeria de arte.

 

SELECIONANDO UMA GALERIA

Uma vez ridicularizada como curiosidade científica, sem valor artístico, a fotografia é agora uma das áreas em crescimento mais quentes no mercado internacional de arte.

Enquanto as cópias de gelatina de prata são o alimento básico de fotografia de arte, você vai encontrar um interesse saudável, tanto em fotos contemporâneas usando métodos antigos de impressão (como os daguerreótipos de Chuck Close), bem como com métodos de impressão modernos, incluindo Cibachromes e C -prints.

Como qualquer empreendimento artístico, é improvável que a fotografia artística vá lhe pagar um salário digno por muitos anos. Embora muitos artistas vendam seus trabalhos diretamente na Internet, a atenção da crítica e as vendas mais fortes vêm de um relacionamento com uma Galeria. Embora haja agora pelo menos uma galeria de fotografia na maioria das grandes cidades, o centro do mercado de arte fotográfica mundial é Nova York. Manhattan possui cerca de 100 galerias que tratam de impressões fotográficas, e os preços tendem a ser maiores. Uma lista detalhada de Nova York e das galerias internacionais está disponível nos sites do guia bimestral Photograph, bem como da Association of International Photography Art Dealers.

Antes de abordar qualquer galeria com seu trabalho, você deve telefonar e solicitar detalhes de sua política de submissões. Muitas galerias recebem novos trabalhos apenas a determinadas épocas do ano, e até mesmo para chegar à porta de alguns lugares você vai precisar da recomendação de alguém conhecido dos diretores da galeria. (Às vezes ajuda a soltar o nome de um conhecido crítico ou diretor de museu, mesmo que sua conexão com eles seja tênue.)

Se uma galeria está interessada em lhe representar como artista, eles provavelmente irão querer uma amostra representativa de seu trabalho. Mesmo se você tiver uma ou duas imagens incríveis em seu portfólio, a galeria vai querer saber se você tem um corpo maduro de trabalho com um padrão consistente. Lembre-se que muitos artistas se juntam a uma galeria simplesmente por ter seu trabalho mantido num inventário, onde será mostrado para colecionadores específicos, em vez de ter uma exposição pública. A nem todo mundo é oferecido uma exposição individual.

A coisa mais importante para se lembrar sobre como trabalhar com uma galeria é em manter uma relação de negócios adequada. Cada impressão que você fornece para uma galeria deve ser inventariada por você – e não por eles – e você deve entender quando e como você pode esperar o pagamento no caso de uma venda. O padrão da indústria é que o artista recebe 50% do preço de varejo de uma fotografia.

Você também deve discutir se é livre para ter relações com outras galerias, ou se a sua galeria espera exclusividade. Se você é representado por uma galeria de Nova York, por exemplo, mas, em seguida, organiza uma exposição em Los Angeles, por vezes, a galeria de Nova York vai esperar um corte (normalmente 10%). No entanto, em troca disto, espera-se que esta lide com os detalhes, como papelada e transporte. Cada relação entre artista e galeria é única, e você deve obter, tanto quanto possível, por escrito, no início.

 

ENTENDENDO O NEGÓCIO

Infelizmente, não é o suficiente para um designer ser criativo, você também tem de ter algum sentido para os negócios. Como a moda fica mais e mais corporativa, é importante estar ciente do clima de negócios e entender a mecânica por trás dele. Lendo religiosamente jornais comerciais como “Women’s Wear Daily” você terá um monte de informações valiosas. Se você deseja ter a sua própria empresa, você precisa ser extremamente organizado e aprender pelo menos o básico sobre economia. Muitas escolas de moda estão atualmente aumentando a carga horária de aulas sobre negócios em seus currículos. “Nossos alunos tem que ser inteligentes o suficiente para saber como negociar um contrato, ou para escolher um parceiro de negócios”, diz Carol Mongo. Isto quer dizer, talvez, que muitos dos designers realmente bem sucedidos hoje, como Calvin Klein ou Tom Ford, estão envolvidos em todos os aspectos do negócio – de estratégias de licenciamento para as campanhas publicitárias ao desenho do vestuário.

 

Publicado originalmente por Ben Widdicombe, via FASHIONET

 

[I just translate and share articles solely public, citing proper credit and sources, without changing, deleting or adding anything at all of the original text. If someone feels wronged by having your text translated and re-published, please contact me via email on tab TEM COLABORADORES in the top of the blog and it will be removed]